INFANCIA E VALORES - 12/04/2006 -


INFANCIA E VALORES - 12/04/2006 -

- Vai ficar me empurrando Rodrigo ? coe?-Disse o menino de aparência de 10 anos de idade a seu irmão mais velho que brincava de judô, tentando jogá-lo no chão-
- Para Rodrigo, coe? Vai pagar 45,00 na minha bermuda?, 70 conto na minha blusa e 55,00 no meu boné se rasgar minhas peças me jogando no chão?Qual foi ‘neguinho’?
O irmão riu e disse meio que desapontado a o colega do lado
-Olha só parceiro, o maluco ta mais preopado com as roupas de marca dele que vão rasgas do que com o tombo que ia levar,só pensa nisso,impressionante os valores que vão se criando.
Enquanto isso o irmão menor pegava o skate e ia ‘surfando’ no asfalto ate o amiguinho, da mesma idade, do outro lado da rua, que usava o mesmo tipo/estilo de roupas desse,até o boné era igual,só mudava a cor.

Estava no meu bairro numa tarde de quarta feira, em frente a uma locadora esperando meu amigo entregar seu filme, enquanto assisti calado esse dialogo dos irmãos.
Penso que os valores que formamos vem exatamente daí, e me recordo, por exemplo, que não tive essa criação, não me importara com marcas, embora visse sempre na escola onde estudei esse mesmo tipo de menino, que usavam o antigo redley preto, calca da phelipe Martin e blusas da cyclone.
Eu mesmo nunca pressionei meus pais para comprarem nada pra mim, para participar desse grupo dos ‘amiguinhos da escola’(eu devia mesmo ser estranho), mesmo por que,definitivamente eu era um peixe fora d´água .Também gostava mesmo era dos amigos da minha rua, do meu bairro, que sujos brincavam ate altas horas na rua ( umas 22:00 hs) de pique esconde no quarteirão todo, e nos aventurávamos no nosso pequeno exercito de recrutas,onde o quartel general era na minha casa,no fundos do quintal,em cima da árvore.
Eu me sentia bem a vontade dentro do meu nicho, meus amigos da rua,aqueles q ficavam horas brincando de boneco, luta livre,corrida de carrinho de rolimã , telefone de lata ( aquele q amarrava um fio enorme de barbante).
Lembro-me que certa feita um menino- que o pai tinha melhores condições-, deu a esse um navio enorme, mais de 1 metro e meio, cheio de ‘papagaiada’, com motor e controle remoto, ascendiam luzes, farol, era realmente enorme e pomposo.
Todos os meninos ficaram fascinados, inclusive eu que tive a brilhante idéia de ‘testar’ o brinquedo dele. já que não tínhamos piscina em nossas casas, onde mais por esse ‘bichão’
-apelido que demos ao navio- pra navegar, senão no valão aberto que tínhamos no bairro?

Ele resistira por algum tempo ,mas sofrendo pressão de todos os amigos , cedeu.
Fomos todos correndo para o inicio do valão, que cortava quase todo o bairro, lembro-me que havia pontes em todo seu comprimento, de 20 em 20 metros.
A idéia, então, era por o navio no inicio do valão, e pegá-lo pela ponte, 20 metros a diante, enquanto somente o dono do navio ,(teoricamente, isso ajudou a convence-lo), iria com o controle remoto brincar de direcionar as pás do navio,fazendo ‘zig zag’ nas águas sujas do esgoto ate resgatá-lo na ponte.
Tudo pronto ,lá estávamos , eu , reco-reco, puruca,azeitona,digão,papel , mochila e Fabiano com seu enorme navio.
Puruca e azeitona desceram com cuidado e colocam o bichão no ‘mar’, Fabiano então começou a acelerar e o ‘bichão ‘seguiu reto.Fomos acompanhando paralelos ao valão vendo aquele ‘titanic’ abrindo águas, girando, desviando dos sacos de plástico e garrafas e o sorriso estampado no rosto do Fabiano quando ‘papel’ GRITOU, já tomando o aparelho das mãos dele.
- PRONTO FABIANO , me da A PORRA do controle é minha vez.

Fabiano irritado :
- Não vou dar P...nenhuma cara, o navio é meu e nosso acordo foi esse, só deixei colocar ai dentro por que vocês disseram que só eu ia controlar e depois me ajudavam a limpar ele e guardar na caixa.

Fabiano era realmente o mais bobo dos parceiros, o único que cresceu tomando ‘danoninho’,água mineral com gás,chinelo caro, carros de controle remoto, era,de fato, o mais mimado da turma,estudava na melhor escola, quase não xingava, e vivia querendo nos ensinar a jogar xadrez.

Iniciou-se uma briga entre Fabiano que e ‘papel ‘pela posse do controle remoto, puxa dali, pula de cá, puruca e digao vieram tomar da mão do garoto,cairam no chao, e eu estava na ponte gritando.
- ALOWWW PARA COM ESSA PORRA, vem pra cá me ajudar a pegar o navio que ta chegando, CUIDADO COM O PNEU MALUCO.

Acho que eles não ouviram, o navio acelerou descontrolado e ,antes de chegar a ponte, bateu de frente no enorme pneu de caminhão que devia servir de casa de rato.
E eu gritei
- FUUUUUDEUUUU!!!!!!!!!!

Assim que bateu, e após meu grito, todos olharam pasmos pras águas sujas e viram o nosso
‘titanic ‘tombando e afundando, não como o próprio navio ,no caso lentamente,mas como um prego na água,rápido e ’pluft’.
A cara do Fabiano, coitado, correndo e chorando ate a ponte.
- Me ajude, me ajude , meu navio, meu pai, meu Deus ,Jesus,o que eu faço?eu vou morrerrrrr!

Nossa operação de resgate não foi das mais eficientes.Pegamos o bambu na casa do digão que tiramos escondido o varal da mãe dele e fomos pra lá tentar levanta-lo. Fabiano só fazia chorar, sentado com a mão no rosto,enquanto eu e os parceiros ficamos ‘futucando’ o fundo do valão, que parecia ter mais de 1 metro de profundidade.
Nada achávamos, senão lodo, coco, sacos plásticos e rã (como era bom caçar e comer rã, mas isso é uma outra historia).
-Ta cheio de rã hoje huginho,mais tarde a gente volta pra pegar,tua vó faz pra gente?
-perguntou puruca pra mim-
-calma ai parceiro,vamos procurar o navio do muleque,depois a gente vê isso de rã.-disse rindo-



Nenhum de nos se atreveu a entrar naquela imundice pra procurar o navio logo de quem?De Fabiano ‘cara de sabão’.
E o garoto foi pra casa chorando,resmungando e soluçando.Mas tudo foi resolvido da melhor forma possível, o pai dele logo tratou de dar o então lançamento do vídeo game ATARI com 23 jogos e nos proibir de aparecer na sua residência, afinal não éramos boa companhia para o filho dele, achava o grande empresário Sr.Carlos Amaral.

O valor dessa lembrança que carrego ,já como adulto, e que creio que ficará dentro de mim enquanto eu existir, não há boné da moda, nem bermuda de surfista, nem tênis de skatista que possa pagar. São outros valores,uma outra infância,um “gostoso outro tempo”.
Hoje quando reencontro esses amigos de infância e paramos pra beber uma cerveja,comer um churrasquinho no ‘guimarães’ e conversar, essas entre outras historias marcantes de nossa infância são expressas com tanta alegria, tanta saudade de um tempo que não volta, mas que nos marcara para sempre.
Não sei se terei filhos, mas faço gosto por um dia tê-los, e hei e passar a esses todas minhas histórias ede menino e o que Mario quintana já dizia.
‘ Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata !’


HUGO MENDES GUIMARAES
12/04/2006

Comentários

  1. Koé maluco!!

    quase choreeeeeei agora no final.. ótima frase..
    e pow
    qnto a infância.. sem palavras... muita diferença cara..
    dá muita saudades da minha época...

    continue sempre assim meu parceiro
    com esse dom maravilhoso que tu tens de transcrever momentos sempre dessa forma irreverente.. rs

    Sou teu fã maluco!

    Sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir
  2. hehehe... Agora entendi de onde vem "reco-reco, puruca,azeitona,digão,papel , mochila".

    Quero ler ainda algumas 'manobras' das festas na casa do Pixo... "Potência não é nada sem controle". Lembra?
    Fala tu?!?!?

    Abraço.
    Wcorrea

    ResponderExcluir
  3. Hugo
    Alguns textos maravilhosos que li sobre a infância e suas lembranças, falavam de lugares com tamanho carinho que sempre dava vontade de ter vivido lá também... (jardins, praias, pomares, mares, quintais, etc). Mas foi a primeira vez que vi alguém lembrar e narrar com tanta paixão, O VALÃO. O véio e falecido Valão do Bairro...
    Adorei. Foi o que menos esperava ler em sua crônica... Isso fez toda a diferença. Mais uma vez, genial!

    ResponderExcluir
  4. Porra... como eu disse agora há pouco no Facebook, filho - velhas são outras coisas =) Esse eu já conhecia, e sempre gostei muito. Requento os parabéns, que você sabe que merece.

    ResponderExcluir
  5. É muito bom relembrar momentos marcantes da nossa infância!!!!

    ResponderExcluir
  6. Muinto Show Tio Quase Morri de Rir Aki

    rsrsrsrsrs...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meu Gato BIKE

-- - profissão ---