Total de visualizações de página

terça-feira, 8 de outubro de 2013

DA PERDA


Quando a palavra simplesmente não cabe.
Quando o texto não entra no contexto.
Quando o sentimento não se expressa no dizer
Nem na escrita se exprime a dor, o sofrer.

Quando parece que não há vento que sopre a favor.
Quando não ha nem sol, nuvem, chuva ou calor.
Quando nada parecer bastar, acalmar, tranquilizar.

Lembremos que existem caminhos desconhecidos
Por dentre as vielas da alma por vezes perdido,
Um conforto que não tem nome,não tem sobrenome.

Existe um mistério no tragar das boas lembranças,
Que leva pra longe com o tempo essa dor que tira o chão,
Que destrói e nos constrói seres mais fortes.

Resiliência é o que nos cria.
Na temporalidade da matéria
O amor e a aceitação.
Porque palavras...
Palavras não cabem não.

24-01-2013

terça-feira, 1 de outubro de 2013

--duas doses de poesia --



Você que pensa que a poesia deve ter métrica,
Que acha que o poema deve ter o que você
entende por estética.
Discorda e brinca da minha dialética.
Faz o seguinte:
Escreva da forma que lhe aprouver
Entenda do jeito que quiser.
Mas não deboche de um poeta.
Deixa ele ser o que quiser.
Ele não te pede nada.
Você lê porque quer,
Não é?

Sentada na beira do rio



Não, eu não tenho
Palavras.
Mas arrepio e fibrilo
Coragem.
Na queda dessa água
Bate na cabeça
Em mim vira paisagem.
Água doce,
corrente
Amarrada
__P
____E
_____D
_______R
_________A
___________S
da gente
Sente?

"Prima a vera"

Primavera cheia de vida.
Meu jardim que anda sem cores.
Aguarda suas doces flores.
Pra secar meus antigos
Dissabores.
Venta,
Leva essas dores.