Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2014

---Marcados—

Em algum momento
nos encontramos
Em bons tempos
nos descobrimos
Com doses
cavalares
nos tivemos.

Em tempos idos
despertamos
para palavras de amor
Profundo corte
de paixão, suor e cor.

Em dias de pura entrega
onde tudo era novidade
éramos dois jovens
desvairados de sede
e saudade.

Um dia, pela sua casa dos 19
Abriu-se a porta dos seus 20
E o que éramos se findou
Um abandono de si
tudo acabou.
Mas o Mundo
O Mundo Girou

Sem que imaginássemos
Pela casa dos 30 nos esbarramos
Em palavras trocadas
sentimentos suscitados
Fibrila um coração
Úbere e ainda
Marcado.

O que mais se deve fazer
senão matar esse desejo tórrido
Rasgando o peito
de querer lhe ver?

BLEFE

Imagem
Foi pra casa do baralho
que buraco se meteu,
rei de espadas te deu na cara
rainha de copas te mordeu.
entrou de valete
achou que a dama ia levar
te bateram com 7 paus
cortaram o morto
pra te juntar
se viu só com o coringa
que sanhaço foi te sobrar
-zé,
para de jogar.

---Silêncio de si---

A nossa questão
era meramente de
hermenêutica
por interpretação
cada um viu
do seu ponto
de vista
turvo,
sem
ouvir
a outra parte,
ficamos
mudos
surdos
longe
calados.

sedas de verdade

A farinha acabou
o pirão não deu
não me sobrou nada
Nem um pedaço seu
dentro do meu.

Fugiu como quem chorava
e se escondeu
Fingiu que se distraiu
a corda que prendia roeu.

Largou sem olhar pra trás
Translucido todo seu egoísmo
Vivo em suas máscaras de altruísmo.
Como Deus dentro do seu ateísmo.

Fantasia de verdade
em coração de mentira.
É muita confusão.
Pra pouca pulsão
Se queres saber,
-Gata, quero não
Veste a decisão.
Abração

THE END

Olho no olho
a que ponto chegamos
em que ponto cegamos
o que nos ceifou?

Vento no rosto
por onde andamos
em que lugar estamos
o que acabou?

Arrepio na braço
o que era aquilo
paixão de cupido
por onde ficou?

éramos tudo
não somos mais nada
viela fina
mas antes estrada
só passa um
por vez

Nem vai dar
pra sermos três.