sedas de verdade

A farinha acabou
o pirão não deu
não me sobrou nada
Nem um pedaço seu
dentro do meu.

Fugiu como quem chorava
e se escondeu
Fingiu que se distraiu
a corda que prendia roeu.

Largou sem olhar pra trás
Translucido todo seu egoísmo
Vivo em suas máscaras de altruísmo.
Como Deus dentro do seu ateísmo.

Fantasia de verdade
em coração de mentira.
É muita confusão.
Pra pouca pulsão
Se queres saber,
-Gata, quero não
Veste a decisão.
Abração

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meu Gato BIKE

RETRATO