Total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

ficou

Conseguiria escrever centenas
de poemas,
de desejos, de cheiros, de beijos e de risos.
conseguiria descrever dezenas
de sentimentos
de vontade, de pulsão ,alusão à você.
Conseguiria absorver todo seu gosto
acariciar seu rosto
lhe acalmar a alma.
chegaria à tantos lugares,
tantos olhares
que não caberia aqui descrever
Mas cá me chego só
com uma essência tua de pescoço nu
grafitado desenhos perfumados
num sem jeito
metáforas rabiscadas
em nuvens de céu
azul.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

dança-poética

Poesia é essa nossa companheira comum. é nas palavras que nos encontramos e nos encantamos.
tenho quedas por sensibilidade
rimada, por cheiro marcante por musica dançada, coladinho.
dois-um só.

insonia

quando a madrugada te acorda,
a lua te chama,
a rua te assombra
e ventos uivantes
te visitam na cama...
tu se cobre mais
se cobra menos
faz uma oraçao
medo ameno
vai se desfazendo
um alento
traz o sono
foragido.

Coisas

Congelou no frio da neve
tudo aquilo que você me deve
derreteu no calor do fogo
as falsas promessas
e meu lado frágil e bobo.
Temperatura ambiente
era a distância
cortando-a em fatias ausente.
O bônus desse relacionamento
era a própria falta da realidade
amargando aqui a semente
do ônus da sua própria
vaidade.
Descascando
laranjas de fantasia
dessa solitária
e febril
liberdade!

Escrevo

Eu escrevo porque preciso
me poemo porque me musico
porque me apaixono pelo infinito

Eu escrevo porque é necessário
Como um banho gelado
em dias de calor
Eu escrevo para transcender
e para matar qualquer dor.

Eu escrevo por tudo que foi
e pelo que nem vai ser
às vezes pelo presente
das coisas que não sei dizer.

Eu leio pra tentar entender
eu jogo pra tentar ganhar
eu vivo fragmentos
e em pequenos poemas
tento juntar para eternizar.

eu escrevo porque vivo
tentando me registrar.
quando ando desiludido
somente palavras podem
me abraçar.
e você, onde estará?

Escrevo e é isso!

lua

E essa lua
Nada precisa dizer.
Tu sentes aí
E eu aqui
A derreter.

terça-feira, 15 de julho de 2014

--Vê_lê_Jar--

Só dependência emocional
nas vigas do seu coração
Sentimento morto,
Seu navio torto,
Quebrado
e encalhado.
Onde só tu o enxergas
aportado.
Capitã com medo d’água
treme em se imaginar
afogada.
o que te sobra
além do nada?
o horizonte azul
distante
e tu sentada em popa
acreditando ser proa
bombordo
estibordo
à toa.
repara que nem sorte
e vento tem
triste estagnação.
Nada pra te levar além
dessa falso navegar.
-Pena, nem posso te ajudar.

sábado, 12 de julho de 2014

--(A)Temporal--


Num depois de chuvas
o abrir do céu
Na noite
de Lua tua
Vento frio
Na pele
sensível
e crua.

Num depois de saudade
fechar o tempo
No dia
Cinza teu
Me cobrir
de um gosto
distante
meu
e seu.

Num antes dos desencontros
o imaginar
que a qualquer momento
sairíamos
da esfera única
do desejo - pensamento-
Chegaríamos
a nos
conjugar
Verbo
-Ser -
teu
e você
-estar-
na
minha.

--FREQUÊNCIA--



Era no meu devido vagar
que eu te lia
e assim,singular, te absorvia.
Era no meu tempo
que eu te observava
dançando, sorrindo, falando ou calada.
Tanta beleza expressada.
Era no meu olhar
que eu te admirava
E eram nos desencontros
que você me encontrava.
Te ver
Não era quando eu queria
mas sim quando o mundo
conspirava para nossa sintonia
e assim o tempo ia
Evanescendo
dia a dia
oportunidade entre os dedos
fugia.

Corte Profundo

Na hora que você parar
de vagar
e devagar
me olhar
pousando
no seu
voar
a gente
vai se cortar
mais
que
navalha
(in) carne
sem
sangrar.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Era DG mas poderia ser VC

Era DG mas poderia ser VC
Era DG e a Mídia diz que era CV
-Aí pode morrer.
Era DG mas VC não quer saber
Era DG mas logo-logo vamos esquecer
Era DG e erra você.

Era Amarildo
Mas poderia ser seu marido
Era Amarildo mas era favelado.
Era trabalhador, mas estava na hora
e no lugar errado.

Era Cláudia
Mas não teve sorte
"no resgate"
socorrida e arrastada
pendurada até a morte
que desastre.

Eram pobres, negros e favelados
Infeliz coincidência
ou fato consumado?
Não importa
Se não estavam do meu lado.

Era Sidnei dias simão
Policial do BOPE
morreu" por engano"
Negro correndo com arma na mão
Não é boa coisa não.
-Atira tio,esse verme é ladrão.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Eu falo de evolução.

Vocês é que tem que parar com esse papo de que é
"inversão de papel na sociedade que, agora, esta na moda proteger bandido"
que estamos contra a PM, que vivemos 'gravando' nos celulares suas ações e jogando na internet,
que nosso negócio é ficar do lado do menor infrator, do safado, do bandido.

Enfia uma coisa na sua cabeça rapaz:
-NINGUÉM GOSTA DO MARGINAL , MATANDO, ASSALTANDO, ATACANDO "GENTE DE BEM"(isso é relativo,nao gosto desse termo), mas enfim...NINGUEM QUER ISSO.

Todos se chocaram com dos bandidos que roubaram um corsa classic naquele ano, jogaram o menino pra fora e ele ficou pendurado, morrendo de modo assustador.

Todos também ficaram de igual modo chocados com a senhora pendurada,arrastada na viatura da PM.( pena de morte pro primeiro caso e, apenas um acidente no segundo caso??)
estamos falando de seres humanos arrastados em um veiculo.
pele no asfalto.

E do playboy que tocou fogo no mendigo, no índio?--você lembra--?
E também do bandido que tocou fogo no devedor da boca no fumo
junto com 7 pneus de carro.

Para com essa merda de ficar falando
- chama o Batman quando te assaltarem.
deixa de ser imbecil e ficar repetindo uma merda dessas por parecer engraçado
meu imposto não vai pra 'liga da justiça' porra(só aquela da milicia né? )

Porra..
O que se discute é uma polícia militar SUCATEADA, Jogada a própria sorte, com salários miseráveis, numa corja de corrupção, sem treinamento, sem o devido apoio familiar, emocional, físico e financeiro.
de um órgão repressor desse estado FODIDO,falido, enfia um cara em um 'treinamento intensivo', da uma arma na mao dele e diz:
- Somos a Lei.
Joga esse cara sob forte pressão psicológica em uma 'segura UPP', pacificadora de que? pra quem?pra qual inglês ver?
Porque quase toda semana uma dessas é atacada.

Todos os dias morrem policiais,
Todos os dias morrem bandidos,
Entram mais policiais no concurso,
Entram mais bandidos no esquema da bandidagem nas favelas..
o arrego continua,
tráfico continua...

PORRA
um eterno ciclo vicioso, isso NÃO TEM FIM.
um matando o outro.

Ai vem você falar de menor idade penal,
continua com essa progressão
daqui a pouco vai baixar mais e vamos prender crianças de 5 anos
E ai, resolveu o q?
o estado vai lançar a 'penitenciaria sonho colorido'?
Vamos ter mais presídios do que escolas e creches porra.

Eu falo é do Sistema
e você irmão, você fala e vive do esquema.
Eu falo de evolução
e você da social
higienização.
e isso, desculpe,
não parece solução.

[ ]'s

Catarse

Dançava colado
corpo no corpo
suor no suor.
Dançava tão grudado
como dois ,
-um só-

Dançava tão rosto
no rosto
à passos colados
coração com coração
naquele peito
-zabumba-
ritmia de baião.

Dançava com tanto sorriso,
tanta sincronia
Cigana
saia rodada,
Tons
em sintonia.

Dançava
em noite de alegria
ate os primeiros
raios
do novo dia.

DE TRÁS PRA FRENTE

Gosto quando te leio
no fim ou no meio
Gosto quando te danço
te cheiro
te tranço.

Gosto dos seus olhos
pra mim ou para o mundo
de tanto te olhar
Gosto do seu gosto
profundo.

Gosto do seu sorriso
gargalhado,
também aquele seu meio de lado
ou a mim direcionado
Gosto do desconcertado.

Gosto desse seu cheiro
de sua indelével fragrância
Gosto desse seu jeito
sua quase despercebida
suave
elegância

Gosto quando te leio
no fim ou no princípio.
Voltar as páginas
da sua poesia
pra te ler
novamente
desde o início.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

---Marcados—


Em algum momento
nos encontramos
Em bons tempos
nos descobrimos
Com doses
cavalares
nos tivemos.

Em tempos idos
despertamos
para palavras de amor
Profundo corte
de paixão, suor e cor.

Em dias de pura entrega
onde tudo era novidade
éramos dois jovens
desvairados de sede
e saudade.

Um dia, pela sua casa dos 19
Abriu-se a porta dos seus 20
E o que éramos se findou
Um abandono de si
tudo acabou.
Mas o Mundo
O Mundo Girou

Sem que imaginássemos
Pela casa dos 30 nos esbarramos
Em palavras trocadas
sentimentos suscitados
Fibrila um coração
Úbere e ainda
Marcado.

O que mais se deve fazer
senão matar esse desejo tórrido
Rasgando o peito
de querer lhe ver?

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

BLEFE


Foi pra casa do baralho
que buraco se meteu,
rei de espadas te deu na cara
rainha de copas te mordeu.
entrou de valete
achou que a dama ia levar
te bateram com 7 paus
cortaram o morto
pra te juntar
se viu só com o coringa
que sanhaço foi te sobrar
-zé,
para de jogar.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

---Silêncio de si---


A nossa questão
era meramente de
hermenêutica
por interpretação
cada um viu
do seu ponto
de vista
turvo,
sem
ouvir
a outra parte,
ficamos
mudos
surdos
longe
calados.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

sedas de verdade

A farinha acabou
o pirão não deu
não me sobrou nada
Nem um pedaço seu
dentro do meu.

Fugiu como quem chorava
e se escondeu
Fingiu que se distraiu
a corda que prendia roeu.

Largou sem olhar pra trás
Translucido todo seu egoísmo
Vivo em suas máscaras de altruísmo.
Como Deus dentro do seu ateísmo.

Fantasia de verdade
em coração de mentira.
É muita confusão.
Pra pouca pulsão
Se queres saber,
-Gata, quero não
Veste a decisão.
Abração

THE END

Olho no olho
a que ponto chegamos
em que ponto cegamos
o que nos ceifou?

Vento no rosto
por onde andamos
em que lugar estamos
o que acabou?

Arrepio na braço
o que era aquilo
paixão de cupido
por onde ficou?

éramos tudo
não somos mais nada
viela fina
mas antes estrada
só passa um
por vez

Nem vai dar
pra sermos três.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Via Pública



caminhando só
Por
entre vias
de dúvidas
vi você
sentada
com sua
coberta
de
razão.
nem falei
nada
não.