Total de visualizações de página

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Circulação de Dinheiro


Circulação de Dinheiro
Fora uma novidade pra mim.Eu havia então acabado de comprar um terreno com vista distante para o mar,não menos bela pela distancia, pois era lindo o sol nascendo por trás do morro,ao lado do mar.
Conversava então com um empreiteiro de obra.Rapaz de uns 40 anos,mulato,mineiro e que terminava uma construção ao lado do meu terreno.Com sotaque bem carregado de sua terra e após me fazer um orçamento da obra que eu pensava o mesmo disse:
- "Sô, ce "sabia que não fica caro não né?
- é...pra quem ta duro, fica puxado "né dr"?
Foi quando o rapaz me olhou e começou um discurso um tanto quando,de inicio, viajante,mas que no final fazia sentido.Começou ele a dizer:
-“ói sô”, hoje em dia esse dinheiro não é nada sabia?o dinheiro na verdade não existe né?”num” é “verdade” ?
- não existe ? e o que você esta me cobrando o que é ? milho pra pipoca?
-"inté que pudia" ser milho,por que no fundo “um cado” dele vai virar isso,caso chegue a minha mão.
-não entendi não mineiro.
- “ó só “, o dinheiro na verdade “nós não tem” ele “passa por nós”, ele não tem dono não sô.pensa que é o seguinte,como que você comprou esse terreno?de onde veio esse dinheiro?
-não isso ai é que eu vendi uma casa onde eu morava e guardei.
-e a pessoa que te comprou faz o q?
- sei lá, acho que tem uma padaria.
-pois então sô..o dinheiro chegou nele do povo que compra pão,povo ‘ingual’ eu e tu. Leite,pão,milho de pipoca né?- falou sorrindo-
“in depois” ele “afoi” ajuntando esse dinheiro, “ajuntando” e te comprou a casa.
- é..comprou
- daí o dinheiro ficou na Mao do senhor e senhor fez o q?
-comprei umas coisas e no fim esse terreno,agora to duro.
-pois então sô.o senhor agora "trabaia", e junta(ganhando de alguém) e vai pagando a obra e eu "vo" recebendo,gastando e pagando "os piao ", e os "piao vao gastanto",comprando pão leite e milho e "tumando" cachaça,e "o home "da padaria vai vendendo,juntando e gastando com outras coisas."inté" que assim vai.”dé mole” o dinheiro volta "inté "pra sua mão, é coisa de doido – disse rindo-
-é.. faz sentido,é a famosa mágica da circulação do dinheiro.
-ô sô, não sei se é mágica não mas que o diabo do dinheiro some,"haaa" isso some. E não adianta "ocÊ "ficar guardando ele pra vida toda né?por que um dia nós morre, fica ele La no banco,e passa pra “famiia” que vai e torna a gastar,não tem jeito né?
-é rapaz , é verdade mesmo
-“intaumse”,quando que começo na obra?
-depois dessa aula de circulação de dinheiro?pode começar amanhã.
-ta certo, e o senhor paga quando?
-tranqüilo, assim que alguém passar pra mim.eu receber meu salário,pra frente a gente vê.O importante é o dinheiro circular.
-é sim sô,mas o senhor não tem nada?
-ué,mas foi quando o papo começou rapa, eu tô duro "alexandre pires" da regiao dos lagos.
-Mas é “qui,qui”, é “qui”
-“qui qui qui” não mineiro,vai roer a corda? Pega a obra ai,eu recebendo eu vou te passando
-é..
-então fechou bonito.- disse eu sorrindo apertando sua mão-
-é , nós vai se "acertano"..- disse ele bolado-
-a não ser que você aceite um rolinho...
- sô..como que é isso?
Depois dessa singela pergunta do mineiro, já joguei um celular de 2 chips com câmera de 5 mega + cartão de memória na mão dele, uma pulseira de ouro de 6 gramas de ouro e disse
- é assim mineiro, segura isso de entrada, mais esses dois chequinhos e pra frente “nóis se acerta”, e viva a circulação de dinheiro e o “jeitinho brasileiro”
Meio incabulado, colocando a pulseira no pulso,futucando o celular foi indo embora dizendo;
- amanha 7 horas "nóis ta ai"
-até
-inté

Hugo Mendes

3 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    essa história aii é bem a tua kra mané..

    agora vo te falar ein.. coitado do mineiro q levou um cel do paraguai.. kkkk

    vai sofrer depois de 2 meses.. rsrs

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk... viva a sabedoria popular! Literatura de Cordel! Salveeeeee!!!!! "quem não se comunica se..." Ha mulekkkkkkkkkkkk!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Hugo
    Muito interessante o raciocínio do Mineiro. O engraçado é que quando eu leio o que você fala em seus textos, eu vejo muito o Blue... Bacana!

    ResponderExcluir