Total de visualizações de página

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Feira de minha vida



Na feira da minha vida se vendia de tudo
Tinha de arroz a sabugo
Peixe bonito,frutas assustadas e carne com medo de ser assada

Na feira da minha vida se vendia ate gente
Nas vitrines da moda os produtos sorriam
Meio sem vida,meio sem graça,há desgraça

Na feira da minha vida se trocava de tudo
De relógios a ventiladores de calor humano
Trocava-se sapato por pano
Ônus por bônus

A feira da minha vida não tinha dia certo
É bem dentro do incerto que tudo se fazia
As barracas se montavam rapidamente
Um amontoado de gente trocando de tudo
Era prosa por poesia desnuda
Era cabelo por perna nua
Era pedaços de sol por fragmentos de lua

Tudo que imunda,afunda
Na feira da minha vida não tinha regra
Não tinha lei e nem espera
Era querer e fazer
Tem rolo?

Rodo?
Vassoura serve?
Quebra o galho,tem sabão?
Tem cloro com azeite,serve não?
Ta na mão

tem troco?
Depende do desenrolo
Que rolo?
Esquece o pão
Com desconto?
Ta feito

Heita feira boa

(Com Lembranças da Feira de Areia Branca,Belford Roxo- Rio de Janeiro)

Um comentário:

  1. Eita Feira abençoada!
    Eu tb tenho saudade dessa Feira!
    Mas gostava mesmo da Feira do Éden!
    Quase um Paraíso...hihihi!
    Adorei essa Manobra das Palavras!
    Ah GarotoOOO!
    E pensar q te peguei no colo!!!
    Mas hj só pego as palavrassss hAHAHAHA!!
    Parabéns!
    Bjs,
    Nika

    ResponderExcluir